quarta-feira, 24 de junho de 2009

Epílogo

Alguns dias depois do fim desta piquena incursão pelos recantos mais longinquos do primeiro mundo, resolvi fazer uma síntese do que verdadeiramente me pareceu tudo isto que nós vimos.
Por vários factores alheios a nossa vontade, a viagem tornou-se um tanto massadora, longa e até enfadonha durante alguns dias. Os principais factores são sempre o tempo aliados ao excesso de peso e tretas que levámos. 40% das traquitanas que tínhamos connosco foram úteis , mas em tempo algum indispensáveis, tornando-se por isso luxos desnecessários tais como computador, comida que poderíamos ter comprado em qualquer supermercado, carregadores, cremes, toalhas, etc.
Depois de tudo isto vem a quantidade de roupa anti-molha que temos que usar e todo o transtorno q isto causa, pq agora está sol e estamos a suar e daqui a bocado já chove como merda e temos q vestir tudo outra vez. Isto tudo junto com as putas das moscas e o facto de estarmos a montar e desmontar tendas quase todos os dias também não favorece. Enfim, vamos indo e vamos vendo.

Creio que agora posso resumir a imagem com que fiquei da Escócia e que tenho deste país outrora um Império colossal e que está espelhado na dimensão, estrutura e imponência de tudo o que nos entra pelos olhos adentro.

A Escócia é um país de tradições e costumes, de gente dura talhada pelo frio e dureza de vida, herdeiros de sangue, cultura e lingua Vikings. Ora tudo isto se vê hoje na imagem que a promoção turística nos quer impingire neste caso específico, o turismo está a ser tábua de salvação para a economia local que perdeu TODA a indústria que tinha incluindo a produção de lã, restando somente o Whisky e pouco mais. Nunca houve muita dedicação a agricultura e o Inverno tb não o permite.
O turismo, como se sabe é um pau de dois bicos e ao contrário do que eu julguei quando planeei a volta, a Escócia está minada de "armadilhas" pra turistas.

Tudo funciona com moeda (ilustrado na foto que estou a meter a moeda na máquina de encher pneus) , por isto resolvi apelidar de Parque de Diversões ou Theme Park. Os autocarros de Japoneses carregados de máquinas, os placards de serviços turisticos, os passeios de barco, os guias de montanha, os alugueres de bicicletas, as visitas guiadas, os castelos, os monumentos, a venda de kilts etc, ect.

Ora partindo do princípio que o turismo corrói a cultura através do lucro e da ganância, muito da Escócia original está a desaparecer pra dar lugar não aquilo que sempre foi , mas aquilo que o turista quer ver. Creio que isto se passa um pouco por todo o lado, mas aqui deixou-me um bocado triste e com muita pena minha, pq do ponto de vista morfológico, é uma das zonas mais fabulosas que já visitei com as suas montanhas e elevarem-se a partir do nível do mar clarinho. Fabuloso
De resto tudo se passa como em qualquer outro país, os Escoceses não gostam dos Ingleses e vice-versa com a agravante de estes sempre terem tido guerras entre eles.

Bom, seja como for é sempre de visitar mas a sensação final é sempre de que vimos o que nos querem mostrar e não aquilo que queríamos ver. Serve para alguns, mas não para mim. A autenticidade dos lugares e das pessoas é o que me faz visita-los, não as teatralidades turísticas.

Assim sendo, a próxima viagem está já prevista para um país menos corrompido pelo dinheiro e onde as gentes ainda são gente. Esta é a minha opinião acerca de Marrocos, espero que se confirme.

Estão abertas inscrições pra quem tenha tomates de dormir em tendas e ir ao deserto.

Beijinhos e abracinhos

sexta-feira, 19 de junho de 2009

CHEGÁMOS!!!!!!!!!!!!!!

AMIGUINHOS, JÀ ACABARAM AS FÈRIAS!!


É verdade, chegámos agora mesmo de Dumfries de onde saímos as 10h da manhã. Fizemos 550kms até aqui e graças ao senhor e aos anjinhos, cá estamos rijos comá merda.
No total fizemos 3200kms em 13 dias.

Obrigado aos patrocinadores, aos assíduos leitores e a todos quantos apoiaram moralmente a voltinha da chuva.

Fica aqui o "Besto Of" em fotos do passeio.

Beijinhos e abracinhos











































quinta-feira, 18 de junho de 2009

Vento e chuva






COMPANHEIRAGE!!!!!!!!!!!!!!!

A viage está a chegar ao fim e conto de chegar a "casa" amanhã ao fim do dia.




Hoje tivemos um dia de chuva e ventos ciclónicos por estradas do Sul da Escócia, passámos por Glasgow que pouco ou nada tem para ver pralém do TISO que é uma loja GIGANTESCA de material de montanha, caiaque, fitness e cicletas. Admito que esta percepção talvez esteja relacionada com o facto de estar a chover comó raio, que a minha paciencia pra cidades e trânsito neste momento não seja a melhor.



Creio que conseguimos fazer perto de 250kms durante todo o dia e chegámos a Dumfries exaustos MAS...!!! SIM, acabámos neste momento de regressar do melhor jantar de todas as férias!!!!!!!!!!!Pra alguns de vocês, pode parecer estranho esta minha obsessão com a comida, mas pra mim é algo de substancial. Experimentem viver 6 meses longe daquilo que consideram de alimentação, logo vão perceber o que eu digo. Quero só acrescentar que o melhor restaurante de TODA a Escócia é Italiano...







Dumfries faz parte do Sul da Escócia, já quase fronteira com Inglaterra. É uma zona verdadeiramente rural , sem aspirações a zona turística e tem uma paisagem verde com as mais bonitas vacas leiteiras de que há memória....Huummmm, leitinho....
Creio que isto estará o mais perto possível da Escócia antes da invasão turística e passar por aqui tirou-me a vontade de voltar pra "casa".
Estamos a dormir num turismo de habitação do melhor que há. Primeirinha!

Amanhã rumamos a Londres

quarta-feira, 17 de junho de 2009

Chuva e mosquitos



Pois olá novamente.

Hoje acordámos a meio da noite dentro da tenda com uma chuvada do catano lá fora. Pensei pra mim: "Que granda merda, amanhã vai ser bonito pra embalar esta treta toda". Choveu e choveu e choveu a noite toda. As 11h da manhã ainda chovia embora já pouco. Lá arrumámos as traquitanas dentro da tenda, saímos para meter as malas na mota e o conteúdo dentro das mesmas quando fomos atacados por milhões e milhões de mini-moscas. Apesar de ser a primeira vez q estou a debater este assunto , é já coisa q me atormenta desde q dormi a primeira noite na Escócia.

AS MIDGES

São umas mosquinhas de 2mm de comprimento, tipo pulgas com asas e atacam durante o nascer e o fim do dia apenas e só durante o Verão. Hoje com a humidade resolveram vir todas pra rua, tipo vampiros sanguessugas e perseguir o doce sangue Português.
Imagino todos os reformados dentro das suas autocaravanas com parabólica e cadeira de massagem a ter AVCs com o riso ao ver 2 pessoas a debaterem-se com os fechos das malas e milhões de Midges. Conclusão, ficámos todos fodidos de mordidos, molhados da chuva e acho q ainda conseguimos perder uma chave da mota no meio da confusão. Ao que parece,esta praga de mini-mosquinhas são extremamente importantes no equilibrio do ecossistema de toda a Escócia.

Pra finalizar, estamos num hotel muita chunga já perto de Glasgow depois de um dia fodido de conduzir a chuva e vento pela Escócia abaixo.


Pra quem viu o filme "Highlander" ou "Os Imortais" datado de 1900 e tal, isto mantèm-se tal e qualmente bonito, verde, imponente... mas com muito mais autocarros de turistas, autocaravanas da era espacial e filas pras bilheteiras dos castelos.



P.S.- Vaquinha precisa-se para um par de discos de travão novos , que estes estão empenados. Sejam bondosos.Obrigado



P.S.2-Ainda há alguém a ler este blog...?

terça-feira, 16 de junho de 2009

2200 kms de gastronomia




Ora viva amiguinhos!!

Cá estamos novaamente a transmitir da Ilha de Skye, Scotland.

Viemos desde Ullapool até aqui pela estrada mais costeira , estreitinha e perigosa possível e chegámos cá ontem ao fim do dia. Hoje temos andado por aqui a pastar pela Ilha, q tem uma ponte de acesso e É GRÀTIS!!!!!


Ora bem e para resumir... Toda esta zona, do Noroeste da Escócia é duma beleza indiscritível, até mesmo por fotos. Montes e montanhas , algumas verdes, outras mais rochosas, com milhares de lagos e lagoas e mais ovelhas e milhões de ilhas ao largo da costa. Muitos viveiros de Salmão pro pessoal comprar no supermercado a 3€ o kilo.
Isto traz-me ao assunto q mais me tem vindo a moer e cada vez mais. A comida. Parece impossível para mim e pra muita outra gente do Sul q aqui vem (não são muitos) que com tanto mar , tão limpo e tão rico em peixinhos, bichinhhos e coisinhas, estes caralhos só comam salsichas, bacon e peixe frito. Orgão genital masculino!!!! Com séculos de evolução q sofreu o homem, a linguagem, o conhecimento, a alimentação, este bardamerdas ainda comem como se estivessem na Idade Mèdia.
Esta é a minha principal frustração no que diz respeito a esta zona do planeta. Àinda ontem a passear na "praia" encontrámos lapas enormes e cascas de mexilhão do tamanho de uma mão e apenas servem de alimento para as gaivotas.
Julgava eu que vinha praqui seguindo as indicações dos meus colegass Londrinos: "Scotland? Ohh, great food!!" Tudo caca. Publicidade enganosa. Não plantam nada, não cultivam nada, têm milhões de ovelhas não se sabe bem pra quê, pq não as comem, fazem vinho "gourmet" de framboesas e mirtilhos e pronto, já está.
Caranguejo aqui deve ser ao pontapé, vacas abandonadas em ilhas remotas q vivem autónomamente e eles a comer hamburguers de BRITISH BEEF.
Enfim, em Terra de cegos quem tem olho é Rei, e aqui o Rei é o Jamie Oliver.

Carrilho, amigo, se me estás a ouvir, traz o chouriço e uma garrafa de vinho, temos aqui montanhas pra subir até sermos grandes!!

domingo, 14 de junho de 2009

Volta sem queda não é volta



Saímos do "Hotel Califórnia" em Bettyhill por volta das 10h com ar de quem ia chover e marchámos rumo a Oeste. Entre curvas e curvinhas, a estrada deixou de ter 2 faixas para ter apenas uma com algumas zonas alargadas para q um carro dê passagem a outro. Esta é a estrada principal da costa Oeste da Escócia , mas só passa um carro de cada vez e ontem a noite , no hotel , um BElga com uma BMW tinha-me avisado que as ovelhas nesta parte do mundo andam soltas a pastar na borda da estrada e são aos milhares. "Vai com cuidado por causa das ovelhas" diz a piquenas.
Fomos até Durness a fazer contas a gasolina qd nos disseram q as bombas estavam fechadas e as próximas só dali por 40kms. Isto no q toca a bombas faz lembrar o Alentejo profundo em q um gajo gasta meio depósito pra ir atestar as bombas mais perto. A conta-gotas lá fomos indo até q o céu abriu duma forma nunca antes vista por estas bandas. Felizes e contentes lá chegámos as bombas. O manual da Honda diz q este depósito leva 23lts e eu consegui meter 22.6 , o q indica q mais km, menos km a piquena ia a empurrar e eu a conduzir.




Feliz por já ter um depósito cheio de gasolina, no entroncamento a seguir resolvi virar a direita e seguir pela estrada da costa como dizia a placa. Esta estrada só dava para meio carro de cada vez e com sobes e desces tipo carrocel.
Iamos nós felizes da vida com os nossos 300kgs e mais um depósito cheio pelo caminho de cabras qd um Corolla verde aparece de frente numa curva e....


e...



e...




eu "jingo" a motrizada pra direita, consigo passar pelo carro até q ouço pum e vai tudo com o caralho disparado pra borda da estrada, mota, malas, eu e a piquena e o caralho e vira e pás contra uma árvore!!





Ou seja, passou a mota mas a mala não. Tudo a volta da estrada era mato fofo (por sorte)e na altura q caímos a mota estava já quase parada, portanto não houve grande estrago. Desmonta malas, desmonta a mota toda, levanta a mota, mete a mota a trabalhar e vai de dar gas afora pelo mato pra subir a ribanceira de novo pra estrada. Claro está q o dono do Corolla Holandês estava já demasiado ocupado a preencher a declaração amigável pra se lembrar de dar uma manita. Primeiros mundistas...

Lá preenchemos toda a merda e seguimos caminho pela estrada mais fabulosa que existe há face da terra (até ver....) que corre a costa junto ao mar por entre vales, lagos, enseadas e baías de água clarinha, tal como nos trópicos e hoje até tinhamos sol!



Entretanto começa a chover e viemos descendo até Ulapool onde estamos agora num campuing a beira do mar e novamente com sol. Estive a ver os estragos da mota e não vejo mais nada pralém que um risco na mala e a roda da frente ligeiramente torcida.Por esta altura está resolvido. Nem riscos, nem plásticos partidos, nem merda nenhuma.A mote tem nesta altura 1750kms desde q saí de Londres. AH MALAS DO CATANO!!!! MALAS RAMALHO!!!!! Rijas pra durar...




Enfim, mais um dia de adrenalina. Amanhã há mais

sábado, 13 de junho de 2009

video

Ora bem, hoje o diia não foi dos mais agitados, portanto não há muito pra contar... Arrumámos as tretas todas de manhã e rumamos ao porto pra apanhar o barco. Chegados lá, o barco do meio dia tinha partido há meia hora atrás e o próximo é as 18h!! Upa upa... Depois de uma tarde inteira de espera, lá chegou o bicho.







Pelo caminho o barco faz umas razias a outras ilhotas fantasma com casas abandonadas, gado solto e focas a apanhar banhos de "sol" nos rochedos.






Qd saímos do barco, já perto de John O'Groats, estava a chover. Fizemos mais 40kms e demos com o HOTEL CALIFÒRNIA tal e qual. Ninguém se entende e tudo parece a 5ª Dimensão. Só visto...

Vale-nos a vista pra praia q mais parece os trópicos mas com 10ºC

Amanhã há mais!

sexta-feira, 12 de junho de 2009

Ilhas Orkney

Meus caros amigo e assíduos leitores...

Cá estamos no final de mais um dia, o mais parado desta viagem até a data. Hoje e amanhã vão ser dias de descanso, retomando a viage amanhã ao fim do dia no ferry.

Esta ilha vive no Verão do Turismo e da pecuária no Inverno. Devido as condições extremas de frio, chuva , neve , gelo e vento, não existem árvores no arquipélago e a vegetação é pouca e rasteira, sobretudo trigo semeado e pouco maais. Suponho q as condições de vida aqui sejam extremamente agrestes durante o Inverno e a população aumenta no Verão pq há muita gente q vem aqui durante 4 meses para gerir os seus negócios.

Ontem a noite, depois de encontrar o chef do melhor restaurante cá da aldeia no meio da rua, lá conseguimos uma vaga, pq pelos vistos tem q ser marcado com 2 dias de antecedência. Posto isto, e depois de papado os medalhões de vaca q nunca comeu farinha, e do peixe recheado com caranguejo do mar do Norte, o cheesecake de pito de pássaro raro abatido enquanto caga, pagas as 60 libras pelo jantar, vais dormir pra tenda q custa 8libras por noite....Não há misérias, TUDO A GRANDE!!




Hoje tirámos o dia pra visitar a mais alta (Norte) destilaria de Whisky Escocês DO MUNDO!!! Mais uma vez na alta-roda do jetset... Mais bilhete pra entrar, mais desconto se comprares uma garrafa e pimbas! Já estás com a garrafa numa mão e a dar o cartão com a outra. Terra do catano pra chular o turista... Enfim, supostamente é o melhor Whisky do mundo, pode ser q até valha a pena, pena eu não gostar de whisky.



Amanhã seguimos na nossa volta a Ilha e vamos apanhar o ferry noutra ponta da Ilha rumo a SUL.




Quero agradecer a todos quantos têm a bondade e o tempo pra deixar aqui os comentários, e mandar os outros a fava! Nós tb somos humanos como as pessoas , precisamos de mimo e alento sff.
Um especial agradecimento ao Barroca q é o nosso apoio técnico em terra e ao GRANDE JOCA por ter definido a homepage do pc dele COM O NOSSO BLOG!!!!! TOMEM-LHE O EXEMPLO, seus ordinários.

Percuso feito até hoje


Ver mapa maior



O pôr do Sol de ontem a noite, as 23h30

quinta-feira, 11 de junho de 2009

Ferry para Orkney



Ora cá estamos mais uma vez ao vivo e em directo do Ferry para as Ilhas.
Realmente , isto de andar de mota carregados com tendas e merdas, não é fácil. 1h pra montar tudo ao fim do dia e 2 horas pra desmontar de manhã. Todo o peso acumulado com mais pendura e cremes é demasiado pra q a condução seja normal e descontraída. Todas as curvas são um perigo, se bem q agora já estejamos um pouco mais ligeiros devido a delapidação dos comes e bebes.

Quanto ao tempo, vale-nos o dinheiro gasto em casacos, botas , capacetes e outras tantas tretas de góriotexes, mais um impemeável do LIDL pra compor a coisa. Não há nada pior do q anda a mota molhado. Aborrece e só temos vontade de voltar pra casa.

Enfim, investimentos... Suponho q em Marrocos não seja preciso tanta treta e q a chuva seja menos... O que vos digo, amigos é experimentar ir até ao Gerês ou ao Algarve durante 3 ou 4 dias e logo tiram as vossas conclusões. É mais fácil ir de carro, mas o sabor é diferente.


Abracinhos!!